quarta-feira, 22 de maio de 2013

Paulo Leminski


Paulo Leminski


Sua Culpa... Minna

Você disse que precisava ir embora porque eu não correspondia ao que você sentia. Você foi embora e em alguns dias eu fiquei esperando você voltar, em outros, eu decidi deixar pra lá. Você disse que nossa amizade era como algo "fundamental", mas quando eu realmente precisei, quando todas as merdas aconteceram, você não estava aqui, porque de fato, você nunca esteve.
Você agora surge do nada, e reclama que eu "não ligo mais", joga na minha cara que a culpa é minha. Eu só posso dizer que minha consciência esta tranquila, eu só me sentiria realmente culpada se tivesse mentido, se tivesse aceitado sentimentos que não eram recíprocos, se tivesse finjido sentir algo só para que permanecesse aqui. Não, a culpa não é minha, a culpa é sua. Assuma. Você quis ir embora, você quis se afastar, você escolheu não entender que eu te amava com amor amigo e não amor romantico. Seja homem. ASSUMA. Eu não vou lamentar sua ida, e você nunca vai poder dizer que eu desrespeitei suas decisão, afinal, foi você, e só você quem quis ir, e que foi embora.

domingo, 19 de maio de 2013

Minna

A saída mais digna, em determinadas situações, é apenas deixar pra lá. Finjir que não viu, que não sentiu, aproveitar enquanto é recente e não vai doer.

Minna

É fácil amar um anjo, porque se vê a pureza em seu olhos, mas incrível mesmo é amar a um demônio, onde se vê a maldade, e ainda sim, consegue torná-la bela.

Desejos Maus... Minna

Eu não preciso disso. Não agora...
Minha mente borbulha, ferve. Estou no meio de um turbilhão emocional e sequer tenho noção do que diabos estou fazendo! Tudo que sei, é que isso não vai acabar bem. Alguém vai chorar no final, mas não creio que serei eu.
Não tenho ideia de como tudo ficou assim, como aconteceu ou por que aconteceu. Talves tenha mesmo sido um surto de loucura meu. Uma manifestação da minha bipolaridade. Realmente é possível. Mas não sei definir como isso faz eu me sentir. Eufórica, irritada, deprimida, orgulhosa, cheia de vaidade!
Tudo e nada passam pela minha cabeça. Sorrio e choro com uma facilidade irritantemente incrível. Não me contenho. Enlouqueço. Porém, sinto-me orgulhosa de minha vaidade, de ter "opções". Tão tolos, lindos, com algo de desejável, quente. Querem-me eles, e eu não quero a nenhum. Todos agradam-me de forma particular, e desagradam-me com um simples piscar de olhos. Deveria ser apenas uma brincadeira, mas não o é. Minha luxúria consome minha razão, e sinto uma enorme vontade de perverter, destruir aquilo que inocentemente me oferecem. É algo grande, sombrio, sádico. Há um que não quero magoar, há outro que quero fazer sucumbir, de resto, me são indiferentes.
Penso pela metade, vivo pela metade, desejo inteiramente, e no fim, não sei o que quero, o que posso ou o que vou fazer.

Eu... Minna

Pode ser presunção minha, arrogância talves, mas não vim ao mundo pra fazer o "aceitável',
nem o socialmente correto. Eu vim pra marcar, não o mundo, mas pessoas. Eu vim para ser
inesquecível dentro de seres humanos. Eu nasci pra fazer gente rir e chorar, porque apesar
de tudo, eu também sou humana.

Rosas... Minna

Rosas são apaixonantes, fortes e belas...

Charles Bukowski

"Cada vez mais descobriremos nossas próprias verdades e nosso próprio modo de falar, e essa nova voz estará despojada de velhas histórias, velhos costumes, de sonhos velhos e inúteis…"


Boletim do Tempo - Charles Bukowski


Fallen


O Caminho - Richard Paul Evans


Autor Desconhecido


Concordo...



quarta-feira, 8 de maio de 2013

Marie Curie


Frases e Trechos de Charles Bukowski



"...Você não compreendia as outras coisas da vida."

"O que é terrível não é a morte, mas as vidas que as pessoas levam ou não levam até a sua morte."

“_O amor é bom pros que aguentam a carga psíquica. É como tentar carregar uma lata de lixo abarrotada nas costas, nadando contra a correnteza num rio de mijo.
_ Ah, não é assim tão mal.
_O amor é só uma forma de preconceito. E eu já tenho muitos outros preconceitos.”

"-(…). Eu sou boa.
-Em quê? Sabe estenografia?
-Não, mas faço coisas pequenas ficarem grandes
-Como?
-Você sabe!
-Não, não sei.
-Imagine.
-Balões?
-Você é engraçado.
-Já me disseram."



A Menina que Fazia Nevar


Misto Quente - Charles Bukowski


A Culpa e das Estrelas - John Green


Guimarães Rosa


O Pequeno Príncipe